As imagens tiradas da superfície do planeta vermelho pela câmera HiRISE a bordo da sonda MRO – Mars Reconnaissance Orbiter em órbita em Marte parecem indicar a existência de antigas ruínas de edifíciose subdivisões de estruturas inteligentes projetadas de tal maneira que parecem ter proporções lógicas das dimensões básicas.  As anomalias encontradas na região de Hellas Planitia em Marte têm aproximadamente o mesmo comprimento e características retilíneas semelhantes que se estendem por uma distância de cerca de um quilômetro. 

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Marte, descobertas Estruturas antigas na região da Hellas Planitia semelhantes aos Zigurates da antiga Suméria (Mesopotâmia)

Fonte:  https://www.segnidalcielo.it/marte-scoperte-antiche-strutture-aliene-simili-a-zigurrat-nella-regione-di-hellas-planitia/

Via: https://thoth3126.com.br/descobertas-construcoes-antigas-em-marte-semelhantes-aos-zigurates-da-sumeria/

Por Massimo Fratini

A idéia de que Marte era habitada – ou pelo menos era há milhões de anos – fascina pesquisadores e pessoas há décadas.

Ao longo da história da humanidade, na medida em que existem registros escritos, o planeta vermelho conquistou o interesse das civilizações antigas ao redor do mundo de uma maneira mágica. Mas há algo mais neste misterioso planeta que não seja a sua característica cor vermelha e de ser o “deus da Guerra” para vários povos antigos. 

Mas o quanto sabemos [e o quanto esta sendo mantido em segredo?] sobre Marte hoje? E se os governos de todo o mundo não estiverem dizendo tudo o que sabem sobre o planeta vermelho? Nos últimos dois anos, aprendemos muito sobre o planeta vermelho. Vimos que Marte não é um mundo desolado e morto, como os pesquisadores acreditavam e “apregoavam” anteriormente. De fato, Marte pode ter sido o planeta gêmeo da Terra no passado distante.

O que foi encontrado na região de Hellas Planitia?

Na área marciana chamada Hellas Planitia, alguns pesquisadores descobriram várias formações que parecem ser de origem artificial. A partir das imagens, essas enormes estruturas têm ângulos regulares que lembram edifícios de grandes construções terrestres. 

Essas estruturas estão parcialmente encobertas pelas areias dos desertos marcianos e parecem construções artificiais semelhantes aos zigurates da antiga Mesopotâmia, encontrados na Terra, encontrados no planalto iraniano, desertos no Iraque e nas áreas do Turquemenistão moderno.

No entanto, é fato que existem evidências fotográficas de que algo [ou muito] foi artificialmente construído em Marte. Existem estruturas na superfície do Planeta Vermelho encontradas em inúmeras imagens tiradas de sondas espaciais, como as que publicamos acima no NASA MRO, que há muito tempo são encontradas por todo o planeta vermelho.

De um planeta árido e desolado, Marte nos mostrou que é mais interessante do que esperávamos antes. Marte tem cerca de metade do diâmetro da Terra, com uma área um pouco menor que a área total de nosso planeta. O planeta é menos denso que a Terra, com cerca de 15% do volume e 11% da massa da Terra, possuindo cerca de 38% da gravidade em relação à superfície da Terra. Mas Marte é extremamente semelhante à Terra de várias maneiras. Especialistas mostraram que o Planeta Vermelho era surpreende e incrivelmente parecido com a Terra, possuindo uma atmosfera, lagos, rios e oceanos que cobriam sua superfície e gelo que encobrem seus polos norte e sul.

Há pouco tempo, a NASA revelou que Marte poderia ter sustentado a vida como a conhecemos, mas tudo mudou quando o planeta perdeu sua atmosfera. Segundo os cientistas, a lenta destruição da atmosfera de nosso vizinho foi causada por um evento planetário, como uma repentina reversão e rotação do campo magnético. Então a atmosfera que havia proporcionado e sustentado a vida foi varrida do planeta. 

Ruínas de construções que lembram os Zigurates da Mesopotâmia

Mas isso aconteceu num passado muito distante. Isso significa que, quando Marte era muito mais jovem, era muito mais quente e úmido, o que significa que era um excelente candidato para o desenvolvimento de vida humana fora da Terra. Os cientistas acreditam que os oceanos de Marte evaporaram devido a perda da atmosfera do planeta.

Mas enquanto Marte não pode ter vida agora em sua superfície, muitos cientistas afirmam que, no passado distante, o planeta pode ter sustentado a vida, e não apenas formas de vida primitivas, mas também a vida de uma maneira mais avançada, com uma humanidade que permitiria a construção de estruturas em sua superfície. Um desses cientistas é o Dr. John Brandenburg, físico de plasma da Orbital Technologies em Madison (Wisconsin), convencido de que a civilização em Marte foi varrida pelas explosões nucleares produzidas por uma civilização alienígena hostil.

O físico, que escreveu seu próprio livro sobre o assunto, intitulado  Morte em Marte: A Descoberta de um Massacre Nuclear Planetário , diz que os marcianos antigos chamados cydonianos e utópicos foram massacrados em um ataque alienígena – e as evidências desse genocídio, segundo ele, estão ainda presentes hoje.

Um Zigurate nas ruínas da antiga cidade bíblica de UR, na Mesopotâmia.

John Brandenburg declara que os isótopos nucleares presentes na atmosfera de Marte são semelhantes aos testes de bombas de hidrogênio e “podem apresentar um exemplo de uma civilização destruída por uma guerra nuclear por um ataque alienígena de outra civilização vinda do espaço”. 

Uma alta concentração de xenon-129 na atmosfera marciana, incluindo urânio e tório na sua superfície, foi observada pela sonda Mars Odyssey da NASA. Embora a esmagadora maioria dos cientistas já tenha apontado que a aparência desses elementos não é surpreendente, como são elementos químicos naturais presentes em todos os lugares, o Dr. Brandenburg está firmemente convencido de que são os restos de explosões nucleares presentes na superfície.

Curiosamente, todos os dias há novas imagens de Marte que mostram que há algo estranho em sua superfície. Nos últimos dois anos, inúmeras imagens do Planeta Vermelho foram analisadas por caçadores de alienígenas em todo o mundo. Alguns deles – desajeitadamente – mostram o que parecem ser estruturas artificiais na superfície do planeta.

Foto de construções com teto em formato de abóbada na superfície de Marte

Imagens recentemente encontradas nos dados do Mars Reconnaissance Orbiter mostram uma área na superfície de Marte coberta por misteriosas “estruturas”. A NASA, graças às fotografias e ao consequente mapeamento de Marte da sonda MRO, notou numerosas “crateras” estranhas na superfície. As imagens mostram um terreno coberto de “crateras secundárias”, mas os astrônomos estão confusos sobre sua aparência. 

A NASA admitiu que não tem resposta definitiva para esse enigma. Além da imagem acima, existem outras áreas da superfície do planeta que mostram “estruturas” igualmente desconcertantes. Caçadores de OVNIs e anomalias em Marte vêem essas estruturas como evidência conclusiva de que uma civilização antiga pode ter estado presente na superfície de Marte no passado distante.

Localizado perto do Elysium Planitia, perto do equador do Planeta Vermelho, existem várias estruturas que desencadeou um debate on-line sobre a existência de vida em antiga civilização em Marte. As imagens “controversas” foram tiradas pela sonda espacial Mars Reconnaissance Orbiter da NASA-MRO.

Se buscarmos mais informações sobre Marte e a possibilidade de que este planeta tenha sido habitado em algum momento do passado distante, encontraremos uma das declarações mais fascinantes sobre o planeta que o General Albert Newton Stubblebine III do Exército dos EUA fez antes de seu desaparecimento:

Existem antigas estruturas no superfície de Marte. Vou dizer a você que algumas estruturas construídas por uma antiga civilização de Marte estão localizadas sob a superfície do planeta, mas nunca foram vistas pelas câmeras da sonda Voyager que por lá passaram em 1976. Também gostaria de dizer que existem máquinas na superfície de Marte, e existem máquinas sob a superfície de Marte que você pode ver, descobrir muitos detalhes, ver o que são, onde estão, e de quem são”.

[O general Albert “Bert” Newton Stubblebine III (6 de fevereiro de 1930 – 6 de fevereiro de 2017)  foi um general geral do Exército dos EUA cuja carreira ativa durou 32 anos. Começando como oficial de armadura , ele mais tarde foi transferido para a inteligência . Ele foi creditado por redesenhar a arquitetura de inteligência do Exército dos EUA durante seu tempo como comandante geral do Comando de Inteligência e Segurança do Exército dos EUA (INSCOM) de 1981 a 1984, após o qual se aposentou do serviço ativo].