Natureza de sinais de rádio misteriosos permanece desconhecida

As FRBs são fenômenos inimaginavelmente poderosos, originados a bilhões de anos-luz de distância da Terra

Rajadas Rápidas de Rádio (FRBs no inglês) chegaram a ser atribuídas a avançadas civilizações alienígenas, porém a escala de tais fenômenos é tal que os cientistas buscam outras explicações

Rajadas Rápidas de Rádio, ou FRBs na sigla original em inglês, estão entre os mais misteriosos fenômenos cósmicos. Apenas 33 delas já foram captadas, e somente uma delas, identificada pela sigla FRB 121102, já se repetiu. As teorias mais recentes apontam que todos esses fenômenos se repetem, e apenas precisamos aguardar para captá-los novamente. Porém a escassez de recursos têm impedido tais esforços, e as FRBs têm sido captadas por mera sorte. Elas são monumentais emissões de sinais de rádio que duram somente milissegundos, e recentemente o Radiotelescópio Parkes, na região oeste da Austrália, captou as três FRBs mais potentes que se conhece. A FRB 180301 foi captada em 1 de março, 8 dias depois foi a vez de FRB 180309, e em 11 de março a FRB 180311.

FRB 180309 se reveste de maior interesse, já que é 4,5 vezes mais potente do que o fenômeno mais forte dessa categoria captado anteriormente. Cada fenômeno desses tem uma energia calculada de centenas de milhões de estrelas como o Sol, liberada em poucos milissegundos, fato que tem desafiado as explicações dos astrônomos. Analisando as características desses sinais já se sabe que a maioria tem origem muito distante de nossa localização cósmica, a bilhões de anos-luz de distância. Danny Price, do projeto Breakthrough Listen, afirmou: “As FRBs viajam bilhões de anos até chegar a nós, e duram poucos milissegundos, sugerindo que o mecanismo emissor tem duração muito curta. E para que nós as detectemos tão claramente após essa longa jornada, elas devem ser inacreditavelmente brilhantes”. Um fenômeno tão cataclísmico, e em escala tão gigantesca que pode ser detectado a bilhões de anos-luz, praticamente elimina a possibilidade de uma civilização alienígena ser a responsável por ele, não importa quão avançada seja.

Chegou-se a aventar a possibilidade de ETs construírem poderosos aparatos para impulsionar imensas naves propelidas a velas de luz, porém as FRBs devem ser resultado de fenômenos naturais. Os astrofísicos comentam a possibilidade de tais emissões serem resultado de colisões entre buracos negros e estrelas de nêutrons. A FRB 121102, a única até agora a ser captada repetidamente, tem sua origem em uma galáxia anã a 3 bilhões de anos-luz de distância, em uma região de formação estelar. Provavelmente é causada por uma estrela de nêutrons rodeada por um intenso campo magnético, relacionado a um buraco negro engolindo material, ou pelos restos de uma supernova. Os cientistas especulam que pode haver mais de uma origem para as FRBs, como pulsares com estrelas companheiras, pulsares implodindo, magnetares emitindo flares gigantescos, ou pode haver alguma conexão com explosões de raios gama, produzidas por estrelas de nêutrons que colidem. Especula-se que cerca de 10.000 FRBs possam ser detectáveis da Terra a cada dia, porém recursos limitados permitem que somente uma fração destas sejam efetivamente captadas.

Catálogo de todas as FRBs captadas

Site do Radiotelescópio Parkes

Sinais misteriosos captados via rádio intrigam a comunidade científica

Cientistas rastreiam origem de misteriosa rajada de ondas de rádio

Misteriosas emissões de rádio podem ser de alienígenas impulsionando naves estelares

Projeto Breakthrough Listen capta 15 misteriosos sinais de galáxia distante

Trânsitos planetários podem ser formas de comunicação de civilizações extraterrestres

Estudo revela que a humanidade reagiria bem à descoberta de vida extraterrestre

 

Fonte: Revista UFO

Anúncios

Obrigado por participar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s