Muitas questões ainda não respondidas sobre o metal do estudo ufológico do Pentágono

Sede da Bigelow Aerospace em Las Vegas, onde a pesquisa do estranho material teria ocorrido

Vários personagens ligados à revelação, publicada pelo jornal The New York Times em dezembro passado, afirmam que uma mostra metálica existe e foi analisada pelo programa

Prossegue a polêmica quanto ao programa de investigação ufológica do Pentágono, o Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais (AATIP). Muitas polêmicas ainda restam quanto a essa revelação, como por exemplo o real alcance de um programa que, entre 2007 e 2012, recebeu meros 22 milhões de dólares. Como comparação, o orçamento norte-americano para Defesa para 2017 é de 700 bilhões de dólares (confira nos links abaixo). Conforme a cobertura do caso feita pela Revista UFO, também disponível abaixo, ainda não foram liberados documentos que poderiam explicar a verdade sobre a participação da empresa Bigelow Aerospace Advanced Space Studies (BAASS) nessa investigação. E a ligação com a empresa do bilionário Robert Bigelow vai além, pois a BAASS teria realizado estudos sobre uma misteriosa amostra de material, obtido a partir de um dos casos investigados.

O jornalista George Knapp, que comanda o programa investigativo I-Team para o canal Las Vegas Now, conversou com o principal responsável pela criação do programa, o senador norte-americano Harry Reid. Este afirma que buscou desvencilhas o AATIP do assunto dos UFOs, pretendendo até mesmo evitar qualquer comparação com o Caso Roswell acontecido em julho de 1947. O político temia que o programa fosse recebido com as ironias e deboche habituais que são reservados à pesquisa ufológica, e afirmou que não estava disposto a isso. George Knapp menciona em sua reportagem como a To the Star Academy, comandada pelo controverso ex-cantor Tom DeLonge, foi a responsável por divulgar os vídeos de aeronaves militares norte-americanas perseguindo UFOs. Quanto ao mais, repete a informação publicada pelo Times de que a Bigelow Aerospace, em sua sede ao norte de Las Vegas, coletou e analisou arquivos e dados sobre UFOs para a Agência de Inteligência da Defesa (DIA).

Parte do orçamento do AATIP destinada à Bigelow Aerospace supostamente teria sido para reformas de suas instalações, a fim de abrigar os arquivos e informações do programa, bem como abrigar laboratórios para estudar, conforme o Times e algumas outras fontes, uma amostra de um misterioso material, um metal ou composto com estranhas propriedades. Na entrevista, o senador Reid alegou não saber nada a respeito, embora tenha ouvido rumores quanto ao assunto. Especulações quanto a amostras colhidas em incidentes ufológicos têm sido debatidas pela comunidade ufológica há anos, e o polêmico Tom DeLonge alegou que a tal liga teria propriedades antigravitacionais. Algo despropositado diante do conhecimento científico atual, diga-se, e mais próximo da ficção científica, como o material imaginado pelo pioneiro do gênero, H. G. Wells, a cavorita, para seu livro Os Primeiros Homens na Lua, de 1901. O ex-funcionário do Ministério da Defesa britânico (MoD) Nick Pope, por sua vez, afirmou acreditar que tais amostras de materiais exóticos existam.

 

 

CRÉDITO: ARQUIVO

Hal Puthoff foi um dos cientistas envolvidos na pesquisa

Hal Puthoff foi um dos cientistas envolvidos na pesquisa

 

 ELEMENTOS PRESENTES NA TABELA PERIÓDICA

Houve muita especulação de que o programa teria encontrado novos elementos químicos, mas o físico dr. Hal Puthoff, um dos cientistas chefe da BAASS, afirmou que participou de parte do estudo de um material incomum e muito complexo, produzido por meios desconhecidos em camadas e com características estranhas. O cientista afirmou que existe um documento descrevendo quedas de objetos não identificados, que eles puderam verificar e é autêntico, e acrescentou: “Não é necessária a queda de um veículo, poderia ser um pedaço perdido por causa de um raio, míssil ou outra causa. Tivemos a oportunidade de estudar esse material estranho, e não encontramos elementos novos. O que observamos é que foram colocados camadas de vários tipos de substâncias conhecidas, e que não sabíamos que poderiam ser moldadas assim. O resultado foi que o material obtido possuía cercas características pouco comuns que não haviam sido previstas. Assim, esse é o tipo de coisa que para mim, como físico, é o mais interessante”.

Este site discute o orçamento de Defesa norte-americano para 2018

Neste link a proposta de orçamento da Defesa para 2019

George Knapp entrevista o ex-funcionário do Pentágono Luis Elizondo

Agência de Inteligência da Defesa atrasa resposta de requerimento sobre programa do Pentágono

Aumentam as desconfianças quanto à divulgação do programa do Pentágono para investigar UFOs

Pesquisadores alertam para a necessidade de cautela diante da revelação do programa do Pentágono

Pesquisador irá cobrar explicações sobre programa de investigação ufológica do Pentágono

Piloto da Marinha norte-americana que perseguiu UFO fala sobre sua experiência

Fonte: https://www.ufo.com.br/noticias/muitas-questoes-ainda-nao-respondidas-sobre-o-metal-do-estudo-ufologico-do-pentagono

Anúncios

Obrigado por participar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close