Obtidas as melhores imagens dos pontos brilhantes em Ceres

Nave Dawn está em sua segunda órbita científica, e persiste indefinição a respeito da natureza dos pontos brilhantes em cratera de 90 km do planeta anão

A nave Dawn da NASA prossegue sua exploração do planeta anão Ceres, situado no principal Cinturão de Asteroides entre Marte e Júpiter. Desde sua chegada ao pequeno mundo as atenções foram atraídas por uma cratera de 90 km de diâmetro, que exibe em seu interior intrigantes pontos brilhantes. A sonda já está em sua segunda órbita científica, circulando Ceres a 4.400 km da superfície, uma vez a cada três dias terrestres. Como resultado, suas câmeras captaram detalhes impressionantes da superfície do astro, com uma resolução de 410 m por pixel.

Ainda assim, a natureza das regiões brilhantes da cratera ainda não foi determinada. Além disso, os dois pontos visíveis nas primeiras fotos agora se tornaram locais brilhantes de forma irregular, e surgem acompanhados de outros pontos menores mas ainda assim gigantescos, tendo por base o tamanho da cratera. O principal investigador da Dawn, Chris Russel da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), disse: “Esses pontos brilhantes fazem de Ceres algo único, como nunca vimos no Sistema Solar. Reflexos em locais cobertos por gelo ainda são os principais candidatos, mas a equipe ainda considera outras possibilidades, como sal”.

Em 28 de junho, a Dawn iniciará os procedimentos para rumar para uma órbita ainda mais baixa, a 1.450 km de distância da superfície de Ceres, onde se estabelecerá no começo de agosto. A demora se deve a seus motores iônicos, extremamente eficientes, que entretanto tem um empuxo muito baixo, e precisam funcionar muito tempo para fornecer a aceleração necessária. Russell e sua equipe esperam então obter imagens melhores e em variados ângulos, para finalmente conseguir determinar o que são as misteriosas regiões brilhantes. A Dawn foi lançada em setembro de 2007 para investigar os maiores objetos do Cinturão de Asteroides, o asteroide Vesta (530 km) e o planeta anão Ceres (950 km). A nave orbitou Vesta de julho de 2011 a setembro de 2012, quando partiu rumo a Ceres, onde chegou em março de 2015, tornando-se o primeiro engenho terrestre a orbitar dois corpos celestes que não sejam a Terra e a Lua.

DESVENDANDO MISTÉRIOS DAS ORIGENS DO SISTEMA SOLAR

A Dawn, que também é a primeira nave a orbitar um planeta anão, já auxiliou a determinar as diferenças que exister entre Vesta e Ceres. Os dois objetos são muito marcados por crateras, porém o planeta anão mostra mais evidências de atividade geológica em sua superfície, como fluxos e deslizamentos de terra. A Dawn deve prosseguir sua missão em órbita de Ceres pelo menos até junho de 2016. Nesse período, estará então em uma órbita muito próxima, a somente 375 km de distância de sua superfície, obtendo imagens detalhadas e utilizando seus instrumentos para obter mais dados a respeito de Ceres.

Visite o site oficial da Dawn

Confira um vídeo feito com imagens da Dawn

Veja fotos do planeta anão Ceres

A nave Dawn fotografoou o asteroide Vesta em detalhes

Planeta anão Ceres é candidato a abrigar vida extraterrestre

Nave Dawn entra em órbita do planeta anão Ceres

Pontos brilhantes em Ceres são mais complexos do que se pensava

Nave New Horizons aproxima-se de Plutão e faz novas imagens

 

Fonte: Revista UFO

Anúncios

Obrigado por participar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s