O Regresso do “Planeta X”, o Vaticano sabe – Parte 2

Posted by  on September 24, 2013

O VATICANO e o regresso ao nosso sistema solar do “Planeta X” , Parte II.

Esta página é uma versão reformatada da entrevista original sobre o Planeta X e o VATICANO  publicada no site Projeto Camelot.

Transcrição da entrevista de Luca Scantamburlo na Itália, Parte 2,  feita por Kerry Cassidy (KC) e Bill Ryan (BR, o mesmo mediador do Planeta SERPO).

O VATICANO e o Regresso do “Planeta X”

Tradução, edição e imagens: Thoth3126@gmail.com

Esta página é uma versão reformatada da entrevista original sobre o Planeta X e o VATICANO publicada no Projeto Camelot. Transcrição da entrevista de Luca Scantamburlo: Parte 2, feita na Itália, por Kerry Cassidy (KC) e Bill Ryan (BR).

Fonte: http://projectavalon.net

Luca Scantamburlo 

Começo da entrevista – PARTE 2

Luca Scantamburlo (LS): Então, tenho aqui [retira a revista da estante] uma cópia da revista para onde Cristóforo Barbato escreveu uma reportagem no ano de 1996. A revista era a revista italiana Notiziario UFO (Notícias de OVNI – Objeto Voador Não Identificado).

Agora já não existe. E essa reportagem era sobre o projeto guerra nas estrelas, a guerra das estrelas da NASA. E o artigo foi escrito em colaboração com outras pessoas: Adriano Forgione, Alberto Mancinelli, Umberto Telarico.

Era sobre, estou certo que se recordam, uma filmagem feita a bordo do ônibus espacial Discovery, onde se podem ver [mostra uma imagem na revista onde se vê o espaço, a curvatura da Terra e um tipo de aeronave] algo que aparenta ser… uma tentativa para destruir um OVNI/UFO inimigo, fora da atmosfera, talvez com “brilliant pebbles” (“seixos brilhantes”, uma arma de defesa de feixes de energia (Laser?) inserida no Projeto Guerra das Estrelas-disparada da Base de Pine Gap, na Austrália: Veja mais em: http://thoth3126.com.br/a-base-subterranea-e-os-segredos-de-pinho-abertura-e-canberra/ ).

VER O FILME (STS 48) SOBRE O ATAQUE ABAIXO:

Kerry Cassidy (KC): Sim, esta é a filmagem STS (48).

LS: 1991. Temos aqui outro artigo feito por Cristoforo Barbato em 1997. [mostra a página da revista com o artigo] É uma entrevista feita por telefone com Robert O. Dean, o antigo Sargento-mor do Exército dos E.U.A..

KC: Ah! Maravilhoso! Sim.

LS: E agora [mostra a capa da revista] tenho aqui a cópia da revista onde foi publicada a minha entrevista a Cristoforo Barbato – que saiu em Abril de 2006 – nesta revista, UFO Notiziario (Notícias de OVNI), que, ainda hoje,  é a principal publicação sobre temas ufológicos (na Itália).

Quero mostrar-vos a película da introdução da Filmagem do Jesuíta porque há aqui uns símbolos. [mostra uma foto na revista, onde se vê fotogramas individuais, com letras] Há aqui uma classificação. Em cima temos três letras, SVS, que representa um mistério, ainda hoje. Mesmo agora, Barbato não quer falar sobre isto.

E depois em baixo, estão as iniciais do programa espacial principal que, claro, não é uma posição oficial do VATICANO. De qualquer forma, segundo o jesuíta, as duas letras, KE, são as iniciais que indicam Kerigma, o programa espacial mais importante do Vaticano (Foto acima).

E depois temos SI, que são as iniciais do nome da sonda espacial, que foi lançada durante os primeiros anos da década de 90; cujo nome é Siloé, é a sonda espacial que teria feito a Filmagem do Jesuíta. Em todo o caso, isto é importante. “Filmagem do Jesuíta” é a expressão que eu atribuí para esta filmagem controversa. E depois vocês têm a numeração romana do ano em que os dados foram enviados para um rádio-telescópio desde o Alasca.

KC: Certo. Este telescópio no Alasca…

LS: Isso é outra parte da informação, porque oficialmente…

KC: OK. Está na posse dos Jesuítas?

LS: É controlado pelos jesuítas que pertencem ao SIV, Serviço de Informações do VATICANO. Claro que estamos a falar de informações confidenciais, segundo o jesuíta. E, oficialmente, temos o Telescópio de Tecnologia Avançada do Vaticano no Arizona, que está a cargo dos jesuítas, para fazer boas pesquisas científicas sobre o espaço profundo, sobre o universo. [mostra uma foto de uma aeronave de formato triangular, na revista] Aqui está outra foto que não se encontra em domínio público, fornecida a Barbato pelo jesuíta.(Saiba mais em: http://thoth3126.com.br/vaticano-telescopio-lucifer-em-busca-de-alienigenas/)

KC: Do “Aurora”? 

LS: Sim. 

Aurora: Projeto secreto desenvolvido pelos EUA.

KC: Sim.

LS: [pormenor de uma aeronave de formato triângular] Segundo o Jesuíta, a foto foi tirada pelos tripulantes a bordo do Ônibus Espacial em 1992 se me… não… foi em 2002, se me recordo. Isto foi uma prova entregue a Barbato pelo jesuíta.  [mostra imagens na revista onde se vê dois decalques tipo desenho animado de um telescópio espacial, com a palavra “Hubble”, no primeiro decalque]

Esta é outra prova, que não estava em domínio público até ser publicada nesta revista, em 2006. Vocês têm aqui o telescópio espacial Hubble. É uma espécie de… Que nome se dá, em inglês, para aquelas pequenas decorações que se metem nos vidros?

KC: Um decalque? Diz-se decalque.

LS: Para os vidros.

Bill Ryan (BR) [por detrás da câmara]: Uma insígnia.

LS: Sim. Para colocar no vosso terno. [aponta para o segundo decalque, que é muito similar ao primeiro] E aqui temos o “Buraco de Fechadura 12, Super Espião do Espaço”. Vejam as duas palavras que temos aqui. [aponta para o segundo decalque]

KC: NASA e CIA.

LS: NASA e Agência Central de Inteligência.

KC: É.

LS: Isto não estava em domínio público até Barbato surgir com este material.

KC: Ah!

LS: E também, [vira a página] temos estes dois cavalheiros – claro que toda a gente conhece este, ou devia conhecer – é o Presidente Dwight Eisenhower. E este cavalheiro, o então Bispo de Los Angeles, é James Francis McIntyre. E o jesuíta confirmou para Barbato que este cavalheiro esteve presente na então BASE MILITAR DA USAF-FORÇA AÉREA DOS EUA de Muroc (na Califórnia, hoje a conhecida e enorme Edwards Air Force Base ), em Fevereiro de 1954, porque Dwight Eisenhower queria ter um apoio espiritual para poder tomar uma decisão muito importante para a humanidade. Porque já existiam rumores sobre esta suposta reunião, que teria ocorrido em fevereiro de 1954, entre uma delegação da Terra e uma presumível delegação alienígena que não é do nosso mundo. (n.t. Seres extraterrestres oriundos do sistema solar de ZETA RETICULI 1 e 2 …) 

Bispo James Francis McIntyre

E o jesuíta… Isto é muito importante. Pela primeira vez, tivemos um denunciante do Vaticano que confirmou: Sim. Esta reunião ocorreu. Sim. (na época  o Bispo) James Francis McIntyre participou dela. E para além disso, o jesuíta disse a Barbato que mais tarde, uns dias mais tarde, o Bispo James  Francis McIntyre quebrou as regras. Porque como é óbvio, a administração americana – estamos a falar dos líderes que participaram dessa reunião – disse ao Bispo:  “Sim, você esteve presente a pedido do presidente dos EUA,  Dwight Eisenhower. Você não está autorizado a falar disto a ninguém, nem mesmo ao Papa”.

 Foto anterior: O Bispo de Los Angeles em 1954, James Francis McIntyre que esteve em contato com seres de outro planeta a convite do governo de Eisenhower.

{ Nota do Tradutor: Um Tratado de transferência de Tecnologia dos alienígenas, formalizado entre ETs e o Governo dos EUA  (que cedeu terreno para a construção de bases subterrâneas para os ETs), foi assinado em 1954:  Presidente Eisenhower encontrou-se com os alienígenas em 20 de fevereiro de 1954,  (http://thoth3126.com.br/eisenhower-presidente-dos-eua-teve-reunioes-secretas-com-seres-extraterrestres/) e mais tarde um tratado formal entre a nação/planeta alienígena e os Estados Unidos da América foi assinado. Quatro outras pessoas que estavam presentes na reunião e eram civis foram Franklin Allen dos jornais Hearst, Edwin Nourse do Brookings Institute, Gerald Light da Metaphysical Research Fame, e o então Bispo de Los Angeles, James Francis MacIntyre. A reação dos quatro convidados foi julgada como uma reação microcosmo do que poderia ser a reação do público dos EUA (e mundial) em geral. Com base nesta reação, foi decidido que nada poderia ser contado ao público norte americano em geral. Estudos posteriores confirmaram a decisão como acertada. Uma carta emocionalmente reveladora escrita por Gerald Light a um seu amigo conta os fatos do encontro em detalhes arrepiantes:

“Meu caro amigo:

-Acabo de regressar de Muroc (hoje a conhecida e enorme Edwards Air Force Base). O relatório é verdadeiro – devastadoramente verdadeiro! Fiz a viagem em companhia de Franklin Allen dos jornais Hearst e Edwin Nourse do Brookings Institute (antigo assessor financeiro do Presidente Truman) e o  Bispo de LA, Francis Maclntyre (nomes confidenciais para o presente, por favor.) Quando fomos autorizados a entrar na seção restrita (após cerca de seis horas em que fomos verificados em cada item que foi possível, incidentes, eventos, e todos os aspectos de nossas vidas pessoais e públicas), tive a nítida sensação de que o mundo tinha chegado ao fim com um realismo fantástico. Porque eu nunca vi tantos seres humanos em estado de colapso e confusão mental total, pois eles perceberam que o seu próprio mundo e sua finalidade havia de fato terminados, tais como a descreveria um mendigo.

“A realidade de outras formas de vida, de outros “planos” ( também em formas etéricas) está agora e para sempre removida do reino da especulação e hoje é parte bastante dolorosa da consciência de cada grupo científico e político responsável que lá estavam presentes. Durante os meus dois dias da visita, eu vi cinco tipos distintos e separados de espaçonaves alienígenas que estavam sendo estudadas e analisadas pelos nossos oficiais militares da Força Aérea – com a ajuda e permissão dos seres “Etherians”!

“Não tenho palavras para expressar as minhas reações. Ai esta, finalmente aconteceu. Agora é uma questão de história. O Presidente Eisenhower, como você já deve saber, foi espirituoso sobre essa noite passada em Muroc (hoje a Edwards Air Force Base), durante a sua “visita a Palm Springs” recentemente. E é minha convicção de que ele vai ignorar o conflito terrível existente entre as várias “autoridades” e ir diretamente falar ao povo dos EUA através do rádio e da televisão. – Se o impasse continuar por muito mais tempo, pelo que pude perceber, uma declaração oficial ao país a respeito desse assunto está sendo preparada para ser feita pelo meio do mês de maio.”

Sabemos que nenhum anúncio público desse tipo foi alguma vez sequer feito. O grupo de controle do silêncio (e o atual governo paralelo) nos EUA ganhou o dia e o assunto nunca foi tornado público.}

Trecho Extraido do Livro “Behold a Pale Horse” de Milton Willian Cooper. 

Para saber mais a respeito acesse o Link: http://thoth3126.com.br/o-governo-oculto-secreto-nos-eua/

Mas o BISPO James McIntyre (um membro da igreja do Vaticano) tomou outra decisão e uns dias mais tarde apanhou um avião e foi para Roma, contou tudo para o Papa que ficou, é claro, chocado. E, segundo o jesuíta, essa foi a primeira razão para a criação deste suposto serviço secreto, o Serviço de Informações do Vaticano – SIV. Mas, segundo o ensaio histórico que Barbato descobriu, Ratlines (Linhas de Ratos), esta agência secreta doVATICANO já estaria em funcionamento, comando anteriormente… no decorrer da Segunda Guerra Mundial. Então alguém vai pensar: OK. Este jesuíta informante não é uma pessoa de confiança. Por outro lado, talvez o jesuíta acreditasse que dizia a verdade. Quem sabe?

O ponto principal é que a mesma expressão, Serviço de Informações do VATICANO, foi utilizada pelo jesuíta e também está presente neste livro, que é um livro baseado em fatos históricos, escrito por um ex-advogado, John Loftus, e um jornalista, Mark Aarons.

KC: Estás dizendo que o Jesuíta tinha uma impressão diferente de quando e do por que se fundou esta organização. Isto está correto? Por outras palavras, estás dizendo que, segundo esta estória…

LS: Há uma contradição. Até mesmo Barbato chamou a atenção para isto.

KC: Tu podes explicar isso? Qual é a contradição, exatamente?

LS: Claro. Pensem no nascimento da Agência Central de Inteligência (a CIA).

KC: Certo.

LS: A Agencia Central de Inteligência (CIA), se estou correto, nasceu em 1947. Antes existia um outro serviço secreto. Tinha outro nome. Era Agência de Serviços Estratégicos. Então porque motivo alterou o nome, a estrutura, a hierarquia?

Se calhar, Barbato chamou a atenção para isto num dos artigos dele, sucedeu-se o mesmo – o serviço secreto do Vaticano foi criado por outras razões, então, este evento extraordinário que ocorreu em fevereiro de 1954 na Califórnia. E isto alterou em grande medida as razões para manter, para dar continuidade, a esta estrutura anterior.

OK, agora temos outro problema. Outros seres de outras regiões do universo estão aqui, na Terra. Isto constitui uma ameaça, claro, não apenas para a humanidade, mas em primeiro lugar, para a fé dos cristãos, dos católicos, até mesmo para a existência do VATICANO. Vocês têm de considerar este problema. Uma das razões para manter este serviço secreto era evitar, sabem, a…[procura as palavras]

KC: Manter o sigilo?

LS: Não. Para poder ter a oportunidade de saber o que os outros serviços secretos estrangeiros poderiam aprender acerca destas criaturas. Isto foi o que eu entendi. Foi isto o que Barbato me disse. E isto foi o que veio a público. O Papa estava muito preocupado. Simultaneamente – e isto é outro ponto importante – outras criaturas oriundas de outras regiões do universo, segundo o jesuíta, começaram a ter contatos com o Vaticano, com o SIV, o Serviço de Informações do Vaticano. E até chegaram a ocorrer alguns encontros nos jardins do Vaticano, que envolveram outras criaturas (extraterrestres) e o mesmo Papa.

{n.t. Isso aconteceu com o Papa João XXIII com certeza, este fato esta exposto em um livro: No livro “As Profecias do papa João XXIII” [Difel, 1979], do escritor italiano Pier Carpi, lê-se em uma declaração do Papa João XXIII: 

 “Os sinais estão aumentando. As luzes no céu aparecerão em vermelho, azul, verde, rapidamente. Alguém está vindo de muito longe e quer conhecer as pessoas da Terra. Reuniões já foram realizadasMas aqueles que os têm realmente visto têm ficado em silêncio”.Referência ao governo dos EUA que até acordos assinou com uma raça alienígena que depois se demonstrou hostil. 

Para saber mais a respeito ver  no Link: http://thoth3126.com.br/o-papa-joao-xxiii-manteve-contato-com-ets/

KC: OK, mas quando foi isso?

LS: Talvez tenha sido nos anos 50. Estamos falando da década de 50.

KC: Isso foi depois da reunião com Eisenhower?

LS: Depois.

KC: Depois.

LS: Ao mesmo tempo, existem pelo menos duas raças nesse espaço de tempo (em contato). Segundo os registros, vocês têm pelo menos duas raças distintas. Uma delas foi a raça que esteve envolvida no contato do antigo Aeródromo Muroc (nos EUA, Califórnia), que mais tarde se tornou a Base Edwards da USAF, a Força Aérea Americana .

E, nesse espaço de tempo, apenas uns meses depois, vocês têm uma outra raça, com aparência humana – vocês não conseguem distingui-los de nós de tão iguais – e eles tiveram contatos com a administração Americana (o governo de Eisenhower). Estou falando das pessoas que tinham a necessidade/obrigação de saber. Ao mesmo tempo, eles (extraterrestres) tiveram contatos com o VATICANO. 

E essas criaturas disseram: Vocês têm de ter muito cuidado com as outras criaturas  {n.t. os Greys, as criaturas que formalmente contataram o governo dos EUA e com eles fizeram um acordo de transferência de tecnologia em troca da permissão de se instalarem na Terra em BASES SUBTERRÂNEAS, sendo a primeira a BASE DE DULCE, no Novo México, ver mais sobre base DULCEAQUIhttp://www.bibliotecapleyades.net}

Acima: O Crop Circle de Crabwood, Hampshire, UK de 15 de agosto de 2002,com um aviso muito objetivo para a humanidade, deixado em uma plantação na Inglaterra, com a imagem de uma raça (greys) alienígena e um claro aviso em código binário contido no círculo com essa mensagem:

“CUIDADO COM OS PORTADORES DE FALSOS PRESENTES E SUAS PROMESAS QUEBRADAS. MUITA DOR MAS AINDA HÁ TEMPO. EELrijue. EXISTE BONDADE LÁ FORA. NÓS NOS OPOMOS AO ENGANO. CONDUTO FECHANDO [som de sino] Ao que parece ainda temos “Amigos lá fora”

Isto é muito importante porque normalmente, sempre que alguém fala sobre o suposto encontro que ocorreu em fevereiro de 1954, crê-se que essas criaturas tinham aparência humana como nós. Sim, talvez eles fossem humanoides, mas eles eram (também muito) diferentes. Existe pelo menos outra raça, com uma aparência muito mais humana que os outros. E eles estavam preocupados com o acordo secreto, assinado pela administração Eisenhower – em segredo – com essa raça.

BR: O jesuíta contou tudo isso ao Barbato? Ou isso é o teu próprio resumo da situação?

LS: Isto foi o que o jesuíta disse ao Barbato. Barbato disse na entrevista e, mesmo na outra… Em primeiro lugar, no comunicado a imprensa que Barbato tornou público, no ano de 2005, ao mesmo tempo quando houve a primeira reunião em que ele mostrou as imagens dos jesuítas ao público. A Filmagem do Jesuíta nunca foi entregue a ninguém.

KC: OK. E como reagiu o VATICANO, quando Barbato se apresentou com esta estória?

LS: Nenhuma reação.

KC: Nenhuma?

LS: Nenhuma reação.

KC: O Barbato foi alguma vez ameaçado?

LS: De que eu tenha conhecimento, não.

KC: OK.

LS: Não tenho conhecimento de nada que lhe possa ter acontecido. Para mim, não existiu nenhuma ameaça dirigida a ele da parte do  VATICANO.

KC: Mas certamente… Tu és um jornalista. Deves ter-lhe perguntado se alguma vez foi ameaçado. Tu próprio, tu não tens recebido chamadas telefônicas ameaçadoras?

LS: Tenho tido alguns problemas com a minha ligação à internet, por exemplo – tenho tido muitas intromissões no computador. Tenho tido muitos ataques no computador. E também no mês passado, começou até a haver uma pequena campanha de desinformação contra mim e contra a minha reputação. Mas devo dizer-vos que esta gente está brincando com fogo, porque talvez alguém pensa que sou estúpido. Bem, posso não ser um jornalista famoso, mas não sou estúpido. Então, até mesmo esta pequena campanha de desinformação contra mim e contra a minha reputação é mais uma pequena peça dum grande quebra cabeça, que me indica que talvez eu tenha tocado em algum ponto sensível.

Deixem-me dizer-vos uma coisa sobre a ameaça extraterrestre. Por exemplo, tenho muito respeito por tudo o que o Dr. Steven Greer tem feito e está fazendo. Quer dizer, é um trabalho fora de série (n.t. DISCLOSURE PROJECT-Projeto de Desacobertamento da presença extraterrestre na Terra). Assim como o vosso! Estou muito surpreendido, por ainda existirem pessoas que, sabem, apesar de todas as dificuldades, continuam com os esforços. Elas não desistem.

Mas, o Dr. Steven Greer, que tem feito um ótimo trabalho, especialmente em maio de 2001, quando presidiu a conferência de imprensa no Clube Nacional de Imprensa em Washington, DC. E estiveram lá mais de 20 testemunhas que estiveram envolvidas, no passado, em assuntos extraterrestres e com OVNIs. E mesmo hoje, Steven Greer afirma estar convencido – devido às informações que ele recebe – de que não existe nenhuma ameaça alienígena.

OK, deixem-me dizer-vos algo acerca disto. Temos atrás de mim [gesticula em direção às fotos]… Temos algumas fotos de um cavalheiro que já está morto. Ele morreu em 1996, em janeiro de 1996. Estou a falar de Phil Schneider. Philip Schneider. [foto de Phil Schneider na Tela] Bem, este tipo era um informante. A mulher – sua ex-mulher, Cynthia Drayer – ainda hoje, tenta abrir um processo para averiguar a morte do ex-marido, devido às circunstâncias misteriosas que envolveram a morte dele.

Schneider, durante bastante tempo, durante alguns anos, deu muitas palestras onde disse CLARAMENTE: Sim! Existem raças extraterrestres que são benevolentes, pelo menos duas delas. E: Mas desculpem, há outros tipos lá fora no universo que não são, sabem, boas pessoas. Ele não usou especificamente estes termos. Mas, em todo o caso, ele forneceu muita informação. Ele era um informante. Mas ele não foi o único.

Existia outra pessoa, Bill Cooper, Milton William Cooper, que trabalhou para a Marinha e para a Força Aérea dos E.U.A.; até o ano de 1989, ele deu muitas palestras. E dessas palestras, surgiu uma realidade que é um pouco diferente da perspectiva do Dr. Steven Greer sobre a presença extraterrestre no sistema solar. Eu não quero dizer com isto que um está certo e o outro está errado. Não estamos a falar nesses termos.

Estou dizendo que existem… existiram… informantes com testemunhos diferentes. Certo. Porque isso não faz sentido, sabem, vocês viram a sua atenção para outra direção. Não. Lamento. Vocês devem levar tudo em consideração.

KC: OK. Mas e o jesuíta – ele disse ao Barbato alguma coisa acerca disto?

LS: Sim, sim, sim. Ele disse algo que se tornou público, porque com a entrevista isso ficou público. Na entrevista que Barbato me deu, me concedeu, ele disse que o jesuíta lhe falou que esta raça extraterrestre, que estaria presente neste planetoide que se aproxima de nós, segundo ele, é uma raça de guerreiros. Ele pode ter utilizado outro termo… mas… O significado é este, é uma raça guerreira.

KC: Ele usou o termo “Anunnaki”?

LS: Se me recordo, sim. Sem dúvida alguma. Ele identificou essa raça com a raça que foi venerada na Mesopotâmia há milhares de anos atrás – os Anunnaki, que significa “os que vieram dos céus para a Terra”. Não há qualquer dúvida sobre isto, segundo o jesuíta.

E esta é a razão para, possivelmente, esta estória  ser dinamite. Porque, não só altera a nossa perspectiva da humanidade no universo, mas também, se ela se confirmar, é uma ameaça para nós, por causa dos efeitos da passagem deste planeta, não apenas devido à presença desta raça, no passado deste planeta, e das atividades deles na Terra.

BR: Ele explicou como é que podemos ter um planeta habitável que passa, na verdade, grande parte da órbita numa parte do espaço profundo e frio onde nenhum tipo de vida (como a nossa) poderia jamais…

LS: Sim. Sim. Claro. É uma questão muito inteligente e interessante.[aponta para a foto na secretária] Este indivíduo aqui na foto… Esta é uma fotografia que pertence ao Observatório Naval dos E.U.A. Está em domínio público, na página da internet do Observatório Naval dos E.U.A. Este cavalheiro à direita é Robert Sutton Harrington, um astrônomo que trabalhou no Observatório Naval dos E.U.A. À esquerda está um antigo colega, James Christy, que foi o autor da descoberta de um dos satélites de Plutão – Charonte – em 1978.

Abaixo a segunda parte da entrevista de Luca Scantamburlo sobre o Vaticano e o Planeta X:

BR: Quem foi Robert Sutton Harrington?

LS: Robert Sutton Harrington foi um astrônomo que esteve envolvido na procura pelo Planeta X. Ele escreveu diversos artigos sobre a possível existência deste planeta no nosso sistema solar. Zecharia Sitchin, que é o autor do livro, End of Times (Fim dos Tempos) –  o Armagedom ou as Profecias do Regresso, em 1990 – em agosto de 1990, se bem me lembro – foi até ao escritório de Harrington no Observatório Naval dos E.U.A. Eles falaram sobre a possível presença de um outro planeta, que ainda não foi descoberto.

E Robert Sutton Harrington, naquela ocasião, discutiu a possibilidade da existência de vida nesse planeta. Apesar da distância e com uma atmosfera muito densa, ele disse: Sim, é possível haver vida. Agora posso acrescentar outra coisa. Se este planeta existir e se for o antigo planeta que foi venerado pelos sumérios e outras civilizações na Mesopotâmia, isso significa que este planeta veio para o sistema solar como um intruso.

Então, isto significa que num passado muito remoto, este planeta não fazia parte do nosso sistema solar. E isto poderia explicar os aspectos estranhos do nosso sistema solar. Por exemplo, pensem no planeta Urano. Na forma como gira, na inclinação do eixo e no plano de órbita elíptico. Ele roda assim (n.t. Inclinado/deitado em ângulo de 90 graus, com o seu pólo norte sempre voltado para o sol ). [é impossível ver a demonstração da rotação] Os astrônomos não conseguem explicar por quê.

Vocês têm que admitir que talvez no passado existiu uma colisão. Agora, se existiu uma colisão, talvez isso esteja escrito em textos antigos – como As Sete Tábuas da Criação, O Enuma Elish, O Atra-Hasis, que são considerados pelos historiadores como sendo mitologias, como sendo um conjunto de mitos. Talvez, como Zecharia Sitchin sugeriu – ele foi o primeiro estudioso a sugerir isto – aqueles mitos tenham mesmo acontecido. Eles apenas são as reminescências de acontecimentos históricos que nos são transmitidos pelo mundo das lendas, pelo mundo da cosmogonia. E o Dr. Harrington falou sobre a possibilidade de vida nesse planeta. Infelizmente, ele morreu em 1993. Mas ele era um funcionário do governo. 

FIM DA SEGUNDA PARTE, Continua…

Primeira Parte em: http://thoth3126.com.br/o-vaticano-e-o-regresso-do-planeta-x/

Permitida a reprodução desde que mantido o formato original e mencione as fontes.

www.thoth3126.com.br

Compartilhe:

 

Anúncios

Um comentário em “O Regresso do “Planeta X”, o Vaticano sabe – Parte 2

Obrigado por participar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s