O medo da Verdade


4Forças Armadas desrespeitam determinação legal e protelam entrega de documentos sobre fenômenos UFO.

Por: DIÁRIO DA MANHÃ
ANDERSON KIYOAKI

Mesmo sendo centro do universo o planeta Terra está ameaçado. Discos voadores foram vistos nos quatro cantos do nosso planeta retangular. Achou esta afirmação ridícula? O que soou mais estranho? A Terra como centro do universo, o planeta retangular ou a existência de discos voadores ou Ovnis como são chamados os objetos voadores não identificados? Pense bem, lembre-se que um dia a humanidade acreditou que a Terra era o centro do universo e tinha forma retangular e nesta época, as pessoas que acreditavam no contrário foram ridicularizadas como foi o caso de Galileu Galilei, físico e astrônomo, Italiano, que em julho de 1609, construiu e aperfeiçoou uma luneta com a qual pode observar corpos celestes. Algumas de suas descobertas só poderiam ser explicadas se fosse aceita a hipótese heliocêntrica de Nicolau Copérnico. Porém em 1616 a igreja decretou que as idéias de Copérnico eram falsas. A repercussão foi tamanha que o próprio papa Paulo V pediu para Galileu a renegar suas afirmações. Hoje, quase quatrocentos anos depois qualquer criança sabe que a Terra é esférica e que não é o centro do universo. Então pense bem antes de responder: você acredita em vida extraterrena?

Historicamente as autoridades sempre foram muito conservadoras e relutaram muito para aceitar novas verdades. Assim como a Teoria Heliocêntrica (Sol como centro do sistema solar) foi renegada no passado a presença de OVNIS em nosso espaço aéreo é tratado como tabu. A Ufologia como é conhecido o estudo de relatos, registros visuais, evidências físicas e demais fenômenos relacionados aos objetos voadores não identificados, ou OVNI ainda não recebe a devida importância do meio científico.

Em dezembro de 1997 o Núcleo de Pesquisas Ufológicas em conjunto com a revista UFO e com apoio da Legião da Boa Vontade (LBV) realizou em Brasília o 1º Fórum Mundial de Ufologia trazendo para o Brasil alguns dos principais nomes da Ufologia na atualidade. Devido às gigantescas proporções o evento mobilizou as atenções das mídias nacional e mundial por 9 dias, reunindo 70 expositores de 25 países e cerca de 700 espectadores. Dentre os participantes estavam o então ufólogo A. C. Volpone, goiano, considerado um dos principais estudiosos da Ufologia no País. O evento foi a maior reunião de ufólogos de que se tem registro e após a sua realização a o mundo experimentou um cenário em ebulição da Ufologia internacional. Toda esta movimentação forçou governantes do mundo todo a “abrir” suas caixas-pretas culminando na Coalisão pela Liberdade de Informação (Coalition for Freedom of Information – CFI), um movimento formado principalmente por militares, ex-militares e cientistas que defende a reabertura das pesquisas oficiais e governamentais sobre o fenômeno UFO e pretende pressionar os governos pela liberação de documentos secretos relativos a OVNIs.

No Brasil a Casa Civil determinou às Forças Armadas que lhe fosse entregue todo acervo relativo a OVNIs, porém, até o momento apenas a Aeronáutica parece querer colaborar entregando parte de seu acervo. Qual é o verdadeiro interesse em ocultar estes fatos? Será que somos o Galileu da vez? Até quando tentarão nos vendar?

Coincidências

O escritor suíço Erich Von Daniken, publicou em 1967 o livro Eram Os Deuses Astronautas? A obra era composta por perguntas sobre um conjunto de fatos que a nossa Ciência não tem resposta ou simplesmente evita buscá-las devido o embaraço que tais especulações podem causar.

Quando nos deparamos com antigas lendas onde deuses têm o poder de voar ou com figuras de divindades que usam capacetes e roupas muito diferentes das utilizadas pelas civilizações que as desenharam deveríamos pelo menos especular qual a sua origem pois simplesmente dizer que era alguma religião antiga é muito simplório.

O mundo como conhecemos é repleto de fatos que isoladamente não chamam a atenção mas que se comparados com outros acontecimentos são no mínimo curiosos como é o caso do desenvolvimento da informática: no ano de 1946 foi construído o Eniac, calculadora de grande porte precursora do computador, com 17.468 válvulas a vácuo e 6 mil computadores manuais, pesando mais de 30 toneladas e ocupando uma área de 160 metros quadrados, efetuava a adição de dois números de 12 algarismos em 200 microssegundos. Oito anos mais tarde, em 1954, surgia o computador IBM 650 medindo 1,5 m x 0,9 m x 1,8 m pesando 892 Kg. Analisando apenas estas duas informações salta aos olhos o avanço tecnológico obtido em oito anos, mas se lembrarmos que em 1947, a cidade de Roswell, no Estado americano do Novo México, teria sido palco não só do sobrevoo de um Ovni, mas de sua queda e resgate, veremos que mesmo com o governo americano liberando documentos sobre o caso e alegando que o que caíra em Roswell eram restos de uma série de balões interconectados do Projeto Mogul, ação ultrassecreta que utilizava aeróstatos gigantes com detectores acústicos de baixa frequência para espionar possíveis explosões nucleares soviéticas e que os “corpos de alienígenas” resgatados eram bonecos de outro projeto, o High Dive, usados em estudos ligados ao desenvolvimento de cápsulas de escape para astronautas fica o questionamento: Será que é mesmo coincidência o imenso avanço tecnológico neste período, ou recebemos informações preciosas que nos levaram a esta nova tecnologia?

História oficial dos ÓVNIs no Brasil

Após determinação do governo federal o comando da Aeronáutica entrega parte dos arquivos que revelam a missão especial que filmou e fotografou aparições de óvnis no País e mostram como funcionava o departamento criado pelos militares para investigar os relatos sobre discos voadores.

A mais famosa das operações já realizadas no Brasil envolveu mais de 20 oficiais da Força Aérea Brasileira (FAB) em uma missão sigilosa no Estado do Pará, 35 anos atrás. Operação Prato, como batizada, é a mais completa investigação de fenômenos UFO realizada pela FAB. Nos Estados Unidos o caso Roswell, marco da Ufologia mundial, os militares entraram em contradição ao primeiro admitirem a existência dos óvnis e depois negaram, já os relatórios brasileiros não deixam dúvidas: parte dos oficiais designados para a Operação Prato, que ocorreu em 1977, afirmam ter presenciado – mais de uma vez – UFOs cruzando o céu da Amazônia.

Os documentos enviados ao Arquivo Nacional também mostram que a FAB contava com um departamento específico entre 1969 e 1972, o Sistema de Investigação de Objetos Aéreos Não Identificados (Sioani) que funcionava nas instalações do IV Comar, em São Paulo. Os relatórios apontam que aproximadamente 70 casos foram apurados pelo departamento, todos retratados com desenhos feitos pelos militares.

Mas definitivamente a Operação Prato é considerada a mais intrigante de todas as investigações. Porém do total de cerca de 2 mil páginas de relatórios, 500 fotografias e 16 horas de filmagem documentadas pelos militares do I Comar, de Belém, apenas 200 páginas e 100 fotos tornaram-se públicas.

O comissário de bordo Uyranê Soares de Hollanda irmão do coronel Uyrangê Hollanda Lima comandante da Operação Prato concedeu entrevista a uma revista nacional em que confidencia: “Meu irmão viu várias naves”, Uyranê citou uma ligação feita por Uyrangê, no auge das investigações. “Ele me disse: ‘Hoje, um disco voador ficou a 50 metros da minha cabeça. Era do tamanho do (avião) DC-10 que você voa. Filmei e fotografei tudo.” Curiosamente o coronel Uyrangê foi encontrado morto em sua casa dois meses depois de dar a última entrevista em que afirmava ter visto OVNI’s durante a Operação Prato.

Até o momento, apenas os relatórios de UFOs classificados como reservados e confidenciais da Aeronáutica foram disponibilizados à Casa Civil e tornaram- se públicos. A lei determina que os arquivos que cumpriram 30 anos de ressalva deveriam ser públicas, mas na prática isto não vem acontecendo. Segundo o brigadeiro José Carlos Pereira ex-comandante da FAB não se devem divulgar documentos que podem ferir a privacidade das pessoas, induzir pânico à população ou que de alguma forma coloquem a segurança do País em risco. Os arquivos disponíveis podem ser vistos em http://www.fenomenum.com.br/ufo/governo/brasil/docbra.htm.

Pioneirismo

A Força Aérea Brasileira regulamentou os procedimentos da Aeronáutica em notificações de objetos voadores não identificados no espaço aéreo brasileiro determinando o que fazer em casos de avistamentos de UFOs. O Brasil é o primeiro País no mundo a regulamentar procedimentos em caráter oficial

O texto, portaria Nº 551/GC3, de 9 de agosto de 2010, aponta ainda o Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra), ligado ao Comaer, como responsável por receber e catalogar as notificações referentes a UFOs.

Apollo 14

Edgar Mitchell, 82 anos, doutor em Ciências pelo Massachusetts Institute of Technology foi um dos astronautas que participaram na missão da Apolo 14. Detentor do recorde do maior passeio lunar, com 17 minutos sobre a superfície de nosso satélite em sua missão de 1971, dr. Mitchell assegura que uma fonte da NASA teve contato com extraterrestres reais, que supostamente são pequenos e com olhos e cabeça grandes.

Para o dr. Mitchel o caso Roswell é totalmente verdadeiro, estas declarações foram dadas em uma entrevista de um programa de rádio comandado por Nick Margerrison, porém na NASA desmentiram rapidamente estes comentários. As declarações do dr. Mitchell colocam mais lenha na fogueira, será que o mistério sobre a questão da existência dos “verdinhos” é verdade ou senilidade?

FONTE: http://www.dm.com.br/

Postado: Ufos Wilson

Anúncios

2 comentários em “O medo da Verdade

Obrigado por participar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s