Matrix Lunar e Manipulação da Raça Humana. O Piratear da Realidade

Essa postagem de hoje deve abalar o sistema de crenças da maioria das pessoas que tem como regra o “impossível”.

“Who Built the Moon” é um dos mais interessantes livros dos escritores Best Seller´s Christopher Knight e Alan Butler, que reúne pesquisas e trabalhos de diferentes cientistas, buscadores e historiadores que se tornaram simplesmente banido da comunidade científica (ou incorporados por ela de forma a serem manipulados conforme o interesse dos Illuminatis) ou ridicularizados e considerados como “loucos conspiracionistas” ainda que as pessoas que disso os acusam, tenham sempre em comum o fato de jamais querer ou buscar entrar em contacto com as informações, evidências e provas que confirmam a “conspiração” a qual seus cérebros, está sempre programado para rechaçar como “absurda”, “ridícula” ou “impossível”.

“Who built the Moon” foi editado em 2007. Segundo consta, o autores redescobriam um antigo sistema de geometria que é uma sequência de números, que pode ser aplicado a todos os aspectos da Lua em relação com o Sol e com o planeta Terra.

Descobriram que a Lua possuí pouco ou nenhum metais pesados e não tem núcleo(é oca?), algo que a nível “físico newtoniano” não deveria ser possível. 

Outro livro mais antigo que trata sobre o mesmo tema é: “Somebody Else on the Moon” (George Leonard 1977), onde um abundante material fotográfico e de pesquisa, são apresentados e questionados pelo autor, dando a lua uma outra função, bem diferente do que o órgão oficial do governo americano (Nasa) fez a vida toda.

Desde minha infância, Sempre me perguntava, “o que afinal o Homem foi fazer na Lua, se aqui mesmo na terra tínhamos tantas coisas mais urgentes e simples para resolver”? (E poderíamos resolver com o mesmo ou com menos dinheiro do que se gasta para enviar esses “astronautas” Lá em cima, ou mesmos soldados a um front de batalha). E a grande verdade é que o trabalho de pesquisa desses autores que entrei em contacto anos depois e hoje aqui comparto, sanavam minhas dúvidas e me davam explicações bastante plaúsíves (ainda que bizarras mas de maneira alguma, “impossíveis”) sobre novas teorias a respeito do satélite lunar, que pensamos e fomos doutrinados a crer que é natural, mas que possívelmente, NÃO É.

Não é novidade para ninguém e nossa “ciência” clássica confirma que:

A Lua e suas radiações energéticas tem o poder de influenciar as marés, os oceanos, o ciclo menstrual das mulheres, o humor dos seres humanos e dos animais entre outros fenômenos naturais pouco estudados e percebidos pela maioria de nós. Crer que a Lua é um corpo amorfo sem vida que jaz no céu para a “alegria” dos poetas, românticos e dos amantes é bastante infantil e  ingênuo.

Levando-se em consideração que o corpo humano físico é um computador biológico ultra evoluído e que as células de nosso corpo são como espécies de micro-chips que programam esse corpo-computador-biológico, não seria exagero compreender que: A Lua pode e provavelmente deve ser uma grande Nave criada por inteligência alienígena.

Segundo o livro “Who Build the Moon” existem numerosas relações matemáticas que acontecem somente entre o Sol, a Lua e o Planeta terra, que não acontece com nenhum outro planeta de nosso sistema solar e seus satélites. A Lua apresenta tantas anomalias, que os científicos simplesmente não tem como explicar o que faz ela ali.

O Russo Isaac Asimov, um famoso professor de bioquímica e autor de famosos livros de ciências nos afirma que: “A Lua carece de atmosfera e de campo magnético, ao mesmo tempo que suas rocas estão magnetizadas. É um fenômeno insólito na natureza já que a terra é o único planeta do sistema solar que tem um satélite tão grande em relação ao planeta que orbita”. 
A conclusão de Asimov é que: Segundo as leis cósmicas e da física, a Lua não deveria estar alí.

Outro dado interessante é que: Toda vez que a Lua se aproxima da terra, causa exatamente os mesmos efeitos sísmicos. Como isso é possível, se um fênomeno natural está destinado sempre a mudar com o tempo(?).

A “ciência oficial” não tem a menor idéia de onde vem a Lua e como se formou ou foi parar ali e nenhuma de suas teorias resistem a um “pente-fino”. 
O planeta Terra e a Lua, se criaram em épocas bastante diferentes, uma idéia que bloqueia totalmente a capacidade de nossos astrofísicos para explicar com precisão, como se converteu a Lua em um satélite terrestre? 

Parece mesmo que a Lua foi introduzida entre a terra e o sol com uma precisão de “mecânicos alemães” ou “relojoeiros suiços” e mais adiante nesse mesmo post, questionaremos “por que?”

Na série cinematográfica “Guerra Nas Estrelas” dirigida por George Lucas, temos a “Estrela da Morte” de Darth Vader, uma construção artificial gigantesca com o mesmo formato da Lua que em verdade era uma estação espacial com tecnologia capaz de destruir planetas.

Isso não deveria estar sendo citado aqui, uma vez que essas séries teoricamente são “pura ficção”, mas é importante salientar que:

George Lucas (assim como Steven Spileberg e outros grandes diretores de Hollywood) Ainda que não esteja provado que eles sejam membros diretos dos lluminatis ou otras sociedades secretas, conhecem bem a Agenda, assim como esses temas aqui tratados e suas obras de “ficção” abordam diversos temas considerados reais, sobre o passado, presente e futuro, não de uma “galáxia muito, muito distante” como dizia a abertura do filme, mas provavelmente algo muito mais próximo do que realmente aconteceu no passado ao planeta terra.

Em todo o mundo, em diferentes povos de diferentes épocas,abundam informações, lendas, registros e histórias sobre uma época em que a terra existia sem a Lua e que essa então apareceu no céu, sendo considerada o “carro” ou a “carruagem” dos “Deuses”. 

A Deusa Lunar Selene era representada montada em um carro de prata puxado por cavalos brancos e os antigos romanos a chamavam “Lua”.

Os xamãs Zulus da África do Sul dizem que a Lua era Oca e era o Lar dos Pitóns ou Chitauris, que nas tradições Zulus são seres de aparência Reptilianas com a pele escamada como peixes, que há muitas centenas de gerações trouxeram a Lua para nosso céu, causando diversos tipos de cataclismas, dilúvios e destruições.

A mesma descrição se repete nos registros sumérios e mesopotâmicos dos líderes dos Annunakis, os irmãos Enlil e Enki. Tudo isso nos ajuda a compreender cada vez mais e melhor a simbologia de adoração a Lua, ao sol, e aos deuses-serpentes e dragões, que até hoje são adorados e reverenciados pelos “satanistas”.

Os registros e história do povo Zulu ainda nos dizem que: O planeta Terra era totalmente diferente antes da chegada da Lua a nossa atmosfera. Não existiam as estações do ano, os raios do sol não ardiam nem queimavam e eram vistos e percebidos pelas pessoas como uma neblina aguada.

Nosso planeta era um lugar doce e exuberante, cheio de verdes harmônicos onde não existia a ferocidade do Sol, dos animais e das pessoas.

Dizem ainda que os seres humanos eram andrógenos e continham as duas polaridades masculinas e femininas harmonicamente desenvolvidas em um único ser. Afirmam que foi depois da chegada da lua e das catástrofes diluvianas por ela provocada, que a raça humana foi dividida em duas polaridades sexuais opostas, ou masculinas e femininas. Dizem que uma grande “abóbada” de água caiu sobre a terra criando o dilúvio, que são simbolizados na bíblia através dos 40 dias e 40 noites em que Noé (ou Gilgamesh no caso dos registros sumérios) se protegeu em sua arca.

Outros povos nativos da África dizem que: A Lua foi construída em um local longínquo para controlar as pessoas e servir como nave de transporte para que os “Deuses-serpentes” ou “pitóns” dominassem o universo. Nos contam que a chegada da Lua transformou toda estrutura do ângulo do planeta Terra,, mudou seu movimento de rotação e translação e criou marés oceânicas mais intensas do que aquelas suaves que existiam até então. Segundo a história desses povos, Antes da chegada da Lua as mulheres não tinha o processo de menstruação e o solos do planeta Terra passou a ser imensamente menos fértil do que era até então.

Mas os africanos estão longe de ser os únicos povos que crêem que a Lua nem sempre esteve ali no céu. 

Na Índia essa época predominada pela energia solar e sem lua, ficou conhecida como “Satya Yuga”, o mais elevado de todos os Yugas. Uma Era em que as pessoas podiam experimentar a espiritualidade, a telepatia, a intuição e outras faculdades psíquicas (hoje adormecidas), por ação direta, de maneira simples, real e intensa. Uma era onde os homens se comunicavam com os animais, com as plantas e com tudo que contivesse o sopro da vida.

Outras tradições menos antigas também confirmam a existência de uma época pré-lunar. Os Antigos filósofos e estudiosos autores gregos Aristóteles e Plutarco, os Romanos Apolônio de Rodas e Ovídio citaram em suas obras os “Proselenes”. Uma gente que reclamou suas terras em Arcádia, por que seus ancestrais haviam estado ali antes que a Lua estivesse no céu. Selene é a Deusa Lunar dos Gregos.

A Lua enfim é crucial para compreender como uma “força Oculta” manipulou e segue manipulando a humanidade e a vida no planeta terra. Parte dessa manipulação foi feita na década de 1960 através da FALSA aterrisagem no solo Lunar. Por que a NASA criou a missão Apolo? Justamente para ocultar a possível realidade secreta sobre o que passa na Lua. Aquilo que entrou para a história como o “grande salto para a humanidade” em Verdade foi uma engenhosa FRAUDE, pelo menos aquilo que foi retratado para o grande público.

O Americano Jay Weidner, diretor de cinema que trabalhou na biografia do legendário Stanley Kubrick, afirma em sua pagina web de maneira minimalista e detalhada que:
Kubrick dirigiu as aterrisagens na Lua em 1969 em um estúdio aqui mesmo no planeta Terra. 

Kubrick teria sido eleito pelos Illuminatis para dirigir a sequência imaginária da aterrisagem na Lua por que na década de 1960 era o mais capacitado diretor para realizar o uso de tais efeitos especiais. Dizem que S. Kubrick conseguiu negociar um orçamento praticamente ilimitado para a realização de seu clássico “2001, Uma Odisséia no Espaço” e conseguiu um acordo ou contrato vitalício para poder fazer qualquer filme que quisesse durante o resto de sua vida, sem a supervisão de nada nem ninguém.

Em suas palestras e seminários, Jay nos mostra de maneira bastante convincente que os Takes do filme “2001 uma Odisséia no Espaço” e as imagens da “aterrisagem na Lua” foram feitas com os mesmos efeitos especiais e anomalias visuais.

Richard Nixon foi o Único Homem a Estar na Presidência Americana Durante os Eventos que Levaram o “Homem a Lua”.

Vários estudiosos, profissionais e pesquisadores, realizaram largas comparações apontando uma extensa lista de contradições, principalmente do ponto de vista da Iluminação, sobre a aterrisagem da nave Apolo no solo lunar. Weinder acredita que Kubrick incluiu essas contradições e anomalías de maneira proposital para que no futuro se pudesse descobrir a Verdade.

Foto do Homem na Lua: “Ventos” Na Bandeira (Onde não Existe Ar). Pegadas no Solo (Onde não existe Umidade).
 
Existe a teoria de que Devido ao Pequeno Tamanho da nave, o Jipe Lunar foi levado “dentro do cú dos Astronautas”.

O mais curioso é que: Stanley Kubrick morreu em 1999, pouco tempo depois de terminar sua obra prima do cinema, Eyes Wide Shut (De olhos bem fechados) protagonizado por Tom Cruise e Nicole Kidman. Esse filme justamente abordava a história de uma rede de pessoas da elite que realizava rituais satânicos de magia sexual.

Dizem que os executivos da Warner, queriam que Kubrick reeditasse o final do filme o que ele se negou. Se é correto o fato de que ele tinha um contrato vitalício para realizar seus filmes e sem censura ou controle, não poderiam fazer nada a menos que Kubrick estivesse morto.

Curiosamente então, ele teve um conveniente “Ataque Cardíaco” que o levou a morte e uma sequência de 15 minutos desse filme pode ser cortada e editada antes da estréia.

“Conspirações” a parte, o FATO é que: 
Até Hoje a Warner Brothers se recusa a produzir um DVD com as versões originais de Stanley Kubrick Desse filme e a data de estréia que Kubrick havia escrito em seu contrato era 16 de julio de 1999, exatamente 30 anos depois da “primeira aterrisagem do homem na Lua”.

Todas essas informações aqui compartidas não tem como intenção promover um “movimento” em que as pessoas “exijam” a “saída da Lua” de nossa atmosfera. Mas sim fazer com que as pessoas entendam o quanto nos resta por saber a respeito da Verdade. Qualquer científico pode confirmar que sem a existência da Lua provavelmente a vida na terra seria bem diferente.

O que alguns estudiosos tem apontado é a possibilidade da Lua além de uma gigante nave espacial, ser um portal dimensional de seres e entidades de outras dimensões que desejem baixar nas realidades materiais e tridimensionais da Terra que é onde habitamos nós nesse momento.

O trabalho da Lua entre a terra e o Sol provavelmente tem sido o de piratear a realidade que deveriamos estar vivendo, por uma outra que nos permita ser manipulado e dirigido (através de guerras, mortes massivas, catástrofes e outras formas de geração massiva de energias negativas). 

Uma das teorias mais plausíveis é que: As informações que o Universo envia a terra e suas células, que também somos nós os seres humanos, está codificada nas partículas de fótons que emitem tantos os sóis como os buracos negros. As emissões energéticas da Lua, “pirateiam” essas transmissões e informações de maneira a torná-las distorcidas, codificando outras informações e dessa maneira os seres humanos não estariam codificando as informações originais dos fótons emitidos pelo sol, mas sim uma versão alterada e modificada deles.

Essa teoria se reforça através da parte do cérebro humano conhecida como “complexo R”, ou cérebro reptiliano. Essa é uma parte de nosso cérebro que trabalha através do reflexo instintivo ou sem raciocínio. O complexo “R” seria então o receptor dessas frequências alteradas dos fótons solares, que a Matrix Lunar trata de distorcer e enviar a terra. Mantendo a humanidade num estado mental de vibração lenta baseada no medo e na sobrevivência.
( te soa familiar???)

Essas informações também reforçam a teoria a respeito de que a terra para realizar seus movimentos de rotação e translação ao redor de si mesma e ao redor do sol, depende de um movimento interno no núcleo do planeta que é como uma espécie de “Macro-pulsar-cardíaco”.

Esse, faria comunicação direta enviando mensagens codificadas ao micro-pulsar-cardíaco, representado pelo coração humano e pelo cardio-chacra Anahata, mensagens essas que seriam recebidas pelo coração e decodificadas pelo cérebro.

Não fosse a distorção dessas informações pela Matrix Lunar, nós seres humanos, saíriamos dos domínios limitadores da mente e poderíamos acessar os domínios da consciência. Qualquer ser humano ao receber em seus sistemas cardio-chacrais as mensagens que vem dos fótons solares até o centro da terra, do centro da terra até o cardio-chacra e então do cardio-chacra a decodificação feita pelo cérebro, teria fácil acesso a outras frequências de realidades que hoje em dia é um privilégio de “médiuns” assim como as informações a respeito do espírito que é, de onde vem, por que encarnou aqui, qual sua missão no planeta e a razão de sua existência. Se Essas informações fossem acessíveis as pessoas em geral, o processo de manipulação seria inviável ou pelo menos muito mais díficil.

Quando estudamos e nos formamos em Hatha Yoga, Algumas escolas nos ensinam que “Ha” em sânscrito quer dizer “Sol” e “Tha” significa “Lua”. A Palavra Yoga em Sânscrito significa “União” o que definiria a Hatha Yoga como: “A União e Harmonização entre as Energias Solares e Lunares”.

Essas energias, na china são conhecidas como “Ying” e “Yang” e no ocidente como energias “Femininas” e “Masculinas” e são as energias que compõem a essência vibratória dos seres humanos e de tudo que tem vida em nosso planeta.

Levando-se em consideração todas as informações a respeito de história, lendas, “conspirações” e outras evidências aqui nessa postagem hoje tratadas sobre a Matrix Lunar, o Sol e as energias que ambos emitem e representam, seja em nossas vidas, religiões, antigos e novos sistemas de adoração ou simplesmente sobrevivência, tudo faz um enorme sentido.

Em uma sociedade enferma como a que sustentamos, a Yoga tem tido o poder de desconectar as pessoas dos processos de manipulação e dos efeitos enfermiços da matrix Lunar. A Yoga tem sido responsável pela transformação pacífica e harmonização de um número cada vez maior de pessoas, sistemas endócrinos e de chacras o que certamente no futuro capacitará cada vez mais as pessoas a nível consciente para uma inevitável tranformação da sociedade e do sistema.

Levando-se em consideração todas as informações tratadas pelas antigas culturas a respeito de que em um passado distante, havia uma Era Dourada de perfeição em nosso planeta onde os seres humanos eram conscientes de si mesmo e de seus potenciais, fica claro por que “igrejas” e movimentos pentecostais tentam reduzir, satanizar ou reprimir as práticas da Yoga (“Templo é Dinheiro”) Uma vez que essas práticas, nos possiblitam ter cada vez mais contacto com as energias dos fotóns solares e distinguir a distorção dessas energias, realizadas pela matriz lunar e por diferentes formas de “cultura” e manipulação massiva.

Ainda que para a maioria das pessoas que lerão esse texto, tudo isso não seja mais que a Obra de um bando de “Lunáticos” a pergunta que todos sempre devem se fazer quando a palavra “impossível” ronda a própria mente é: “Por que Não”?

Para mais informações sobre esse tema recomendo visitar o site de Jay Weidner http://jayweidner.com/ , Ler os Livros aqui citados, assim como as Obras de consagrados Autores (que a mídia convencional esconde) como David Icke, Christopher Everard, Christopher Knight e Alan Butler, Isaac Asimov, Carl Sagan e muitos outros que surgirão no caminho, a medida em que cada um realize suas próprias pesquisas.

Que deus Abençoe a Todos.

Namastê

Ruy Mendes – Agosto de 2012

 
 
Postado por 
Anúncios

Um comentário em “Matrix Lunar e Manipulação da Raça Humana. O Piratear da Realidade

Obrigado por participar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s