Cientista siberiano diz continuar convencido de que alienígenas salvaram a Terra

Para ele, o evento de Tunguska seria catastrófico e foi evitado por uma nave extraterrestre

Lavbin insiste que uma explosão entre o céu e a terra só podia ter acontecido na sequência de uma colisão de dois objetos. Ilustração

Os extraterrestres teriam salvado a Terra, que poderia ter sido destruída há mais de cem anos. Essa hipótese foi sugerida de forma mais acentuada em 2009 pelo cientista siberiano Yuri Lavbin. Agora, ele demonstra manter a mesma opinião. “Em 30 de julho de 1908, quando um cometa gigantesco quase tinha se aproximado do nosso planeta, uma nave kamikaze espacial atacou o objeto celeste. Na sequência desta colisão, ocorreu uma forte explosão, os fragmentos do cometa espalharam-se pela Sibéria, o maior fragmento veio a ser chamado meteorito de Tunguska”, considera o cientista.

Os motivos deste comportamento heroico dos supostos ETs ainda permanecem desconhecidos. É possível que eles tenham tentado salvar a Terra ou tudo teria sido uma coincidência fatal. A explosão na Sibéria resultou em árvores derrubadas no território de mais de 2.000 km quadrados. No decorrer de alguns dias após o ocorrido no território que se estende do Atlântico até a Sibéria Central, observou-se uma luminescência intensa do céu e as nuvens luminescentes. Até hoje não se sabe o que aconteceu naquele dia no céu sobre a taiga siberiana [Veja evento de Tunguska].

Presidente do Fundo Social do Fenômeno Espacial de Tunguska, Yuri Lavbin contou à Voz da Rússia:

“O evento foi causado por uma nave kamikaze. Possivelmente, não teria recursos energéticos suficientes, a sua massa seria enorme, por isso a sua tripulação resolveu atacar o cometa. O objeto celeste despedaçou-se. Os restos do cometa encontram-se por toda a Sibéria. Sob o local da explosão, no Krai de Krasnoiarsk (Sibéria Oriental), nós encontramos uma cratera de 500 m de diâmetro e algumas crateras menores ao seu redor, entre 100 e 150 m de diâmetro.

No mesmo lugar foram também encontrados fragmentos de uma nave extraterrestre. A análise química mostrou que o material (liga especial silício-ferro), do qual a nave tinha sido feita, não pode ser recriado na Terra. A potência da explosão também indica que, muito provavelmente, a catástrofe foi provocada pelos extraterrestres”, afirma Lavbin.

crédito: National Geographic

Um objeto vindo do céu dilacerou parte da floresta

Um objeto vindo do céu dilacerou parte da floresta. Veja fotos originais em preto e branco realizadas por uma expedição à região nos anos 20, clicando aqui

E prossegue: “A potência da explosão ocorrida sobre a taiga siberiana equivaleu a 50 milhões de toneladas  de trotil [Material explosivo]. Esta explosão foi de duas a 3 vezes mais forte do que as bombas explodidas em Hiroshima e Nagasaki. Uma detonação parecida foi efetuada em Nova Zembla (Ártico), quando a União Soviética (URSS) [Atual Rússia] fazia testes de uma bomba de hidrogênio. A explosão foi registrada pelos sismógrafos de todo o mundo. Ela não aconteceu na Terra nem no espaço cósmico, mas na atmosfera do planeta”.

O cientista siberiano está convencido que quase todas as hipóteses fantásticas, sugeridas no decorrer de um século, são inconsistentes, à exceção de uma só: a participação de civilizações extraterrestres. Lavbin insiste que uma explosão entre o céu e a terra só podia ter acontecido na sequência de uma colisão de dois objetos. “A participação de extraterrestres está provada com uma precisão de 99%. Porque simultaneamente com a onda sísmica foi também registrada uma tempestade magnética, que só pode resultar da detonação de um aparelho técnico na atmosfera”.
Yuri Lavbin encontrou mais uma prova da sua teoria. São pedras pequenas que têm em si imagens de rombos e quadrados. “São cristais de quartzo. A sua firmeza é pouco menor do que a firmeza do diamante. Para criar tais imagens na sua superfície é preciso utilizar uma tecnologia específica. Nós decidimos tentar imitar esta imagem com ajuda de todos os objetos existentes. Dirigimo-nos ao Instituto de Física que tem uma instalação laser. Ela só conseguiu arranhar um pouco o cristal, mas é sabido que ela é capaz de cortar aço como se fosse manteiga. Quando mostramos o cristal aos geólogos, eles disseram que a pedra tinha uma origem extraterrestre.”

crédito: Mondolithic

A explosão na Sibéria resultou em árvores derrubadas no território de mais de 2.000 km quadrados

A explosão na Sibéria resultou em árvores derrubadas no território de mais de 2.000 km quadrados. Veja fotos clicando aqui
Fonte: UFO

 

Anúncios

2 comentários em “Cientista siberiano diz continuar convencido de que alienígenas salvaram a Terra

  1. Já agora se é verdade que foi uma nave extraterrestre a explodir em Tunguska, mande as diversas provas que encontrou a laboratórios independentes para comprovar as suas teórias e então que a exponha ao Mundo, mas parece que isso ainda não aconteceu….. infelizmente.

    Curtir

Obrigado por participar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s